10 conselhos sobre sites web para uma consultoria de software

Uma empresa solicitou a um conhecido meu que trabalha numa consultoria de desenvolvimento de software uma proposta para desenvolver um site web para divulgar suas informações para os clientes, mais uma intranet e algumas interfaces web para os sistemas internos, com integração com redes sociais, vídeos e utilizando as “modernas” tecnologias Web 2.0. Como a consultoria não tinha feito muitos trabalhos com sites para o público em geral, ele me pediu alguns conselhos. Achei que esses dez seriam um bom começo.

  1. Pela análise do site da empresa que já existia, notei que eles não tinham a mínima idéia sobre o que é um site e para que ele serve. Assim, recomendei a meu colega que tentasse falar com o pessoal de marketing (quem tinha pedido a proposta foi o responsável por TI). Se o marketing não soubesse como a empresa deve ser vista pelos clientes no mundo online, eles iriam continuar com um site tosco só que utilizando tecnologias modernas.
  2. Sugeri que ele falasse com os donos da empresa para descobrir a “Visão” que eles tinham sobre site, se eles sabiam para que ele serviria, qual seria o público que ele atenderia (clientes, público em geral, fornecedores, parceiros, etc) e se eles sabiam como o site da empresa deles deveria ser diferente da concorrência. Mas acima de tudo isso, que ele obtivesse o comprometimento da alta direção para o projeto.
  3. A proposta deveria ser divida em etapas, sendo a primeira um trabalho de Arquitetura de Informação, Design e Usabilidade antes de começar a desenvolver o projeto. Os responsáveis da empresa deveriam aprovar um protótipo básico antes de iniciar o desenvolvimento.
  4. Ele deveria discutir com as diversas áreas da empresas que iriam colocar conteúdo no site se todos os itens de informação seriam mesmo escritos e atualizados (dá trabalho manter o conteúdo atualizado e muitas empresas não levam isso em consideração).
  5. Depois de aprovado, viria os aspectos técnicos, como a escolha da plataforma onde esse conteúdo seria publicado, onde seria hospedado, quais as tecnologias que a equipe de TI da empresa teria que lidar. Sugeri encontrar um CMS (OpenSource) já pronto que o time da consultoria tivesse experiência. Recomendei analisarem o WordPress,  Drupal ou Joomla. Desenvolver plug-ins para esses softwares seria uma forma de integrar com outros sistemas (ex, intranet).
  6. O desenvolvimento deveria ser feito em etapas bem definidas com aprovações formais ao final de cada etapa. Deveriam começar com o site só com conteúdo (sem as aplicações), depois disso no ar, continuasse com as aplicações para os usuários uma a uma, depois para a Intranet, e então integrações com os sistemas legados (ERP, CRM, etc). Se tentassem fazer tudo de uma vez, seria grande a chance de fracasso. Entregas pequenas e freqüentes é a melhor estratégia para sites web.
  7. Durante a construção deveriam ter sempre em mente as regras de SEO (Search Engine Optimization). Sugeri contratar um especialista nisso.
  8. A equipe de desenvolvimento da consultoria deveria contratar um excelente Webmaster que seria o responsável pelo html compatível com todos os browsers relevantes e sistemas operacionais e pela implementação das “firulas” em javascript.
  9. Quanto a vídeos, sugeri criar um Canal no Youtube para a empresa. No site colocariam só o player do Youtube. Isso tem a vantagem de não precisar pagar banda e os usuários poderiam assinar o canal do Youtube para receber as atualizações dos vídeos.
  10. Quanto a redes sociais, eles deveriam manter uma conta no Twitter (com atualização freqüente, senão não serve para nada e só prejudica a imagem). Deveriam ter grupos no Orkut e Facebook. Se quisessem um grupo mais restrito poderiam usar o Ning (http://www.ning.com/) que possui todas as ferramentas para criar uma rede social própria. Outra opção seria criar aplicações para o Facebook e Orkut (OpenSocial), mas antes deveriam fazer uma análise sobre os interesses dos usuários nessas redes. O principal ponto é convencer a empresa que manter uma rede social custa. Precisa de gente dedicada a isso. Se não fossem alocar ninguém para essa função, então deveriam se questionar para que eles querem integração com as redes.

Meu colega seguiu esses conselhos, mas teve que apresentar uma proposta para elaboração de um “Business Plan” antes do desenvolvimento do site dado que a alta direção da empresa e a área de marketing não souberam dizer para que precisavam de um site… pelo menos a consultoria ganhou o trabalho, pois todas as outras concorrentes só apresentaram propostas técnicas sem o cuidado em descobrir as necessidades reais da empresa.

Deixe nos comentários o que você acha e se deixei de lado alguma coisa.

1 pensamento em “10 conselhos sobre sites web para uma consultoria de software”

  1. Oi Wladimir. Seu artigo está muito completo e correto. O fato das empresas não saberem pra que precisam de um bom site institucional no dias de hoje é, de certa forma, preocupante. Este é até um dos temas que abordarei no futuro blog da empresa onde trabalho. O interessante é que através deste cenário surge um paradoxo: a situação é ruim para quem tem uma boa proposta de negócio – com novas ideias e serviços úteis – e ótima para profissionais como nós, não é mesmo?

Os comentários estão desativados.