10 conselhos sobre sites web para uma consultoria de software

Uma empresa solicitou a um conhecido meu que trabalha numa consultoria de desenvolvimento de software uma proposta para desenvolver um site web para divulgar suas informações para os clientes, mais uma intranet e algumas interfaces web para os sistemas internos, com integração com redes sociais, vídeos e utilizando as “modernas” tecnologias Web 2.0. Como a consultoria não tinha feito muitos trabalhos com sites para o público em geral, ele me pediu alguns conselhos. Achei que esses dez seriam um bom começo. Continue lendo “10 conselhos sobre sites web para uma consultoria de software”

Como minha família recebeu o iPad

Inspirado por um artigo do CTO da EMC sobre como o iPad foi recebido pela sua familia, resolvi aproveitar o dia das Mães, onde toda a familia estaria reunida,  para testar a receptividade que o novo brinquedinho do Steve Jobs teria. Já imaginava que eles iam gostar, mas fiquei impressionado com o quanto eles gostaram.

Continue lendo “Como minha família recebeu o iPad”

Nova ciclovia de São Paulo: primeiras impressões

Nesse domingo saí com minha bike para conhecer a nova ciclovia inaugurada no sábado. Depois de onze kilometros da minha casa até a Vila Olimpia onde está uma das duas entradas para a ciclovia, tive a primeira impressão negativa. Já imaginava que a entrada não seria fácil por causa da marginal que separa o bairro do rio, mas 4 lances de escada estreita para acessar a passarela com vários ciclistas em fila batendo as bicicletas um no outro foi mais do que eu esperava. A escada foi até preparada com canaletas para encaixa as rodas enquanto se empurra a bicicleta (não me ajudou muito pois meu pneu tem cravos laterais que teimavam em enroscar). Mas nas curvas da escada não tem jeito, tem que esperar em fila e evitar bater na outras.

Depois do acesso difícil, o começo da pista é bem sinalizado e com uma área com banheiros e bebedouro. Por uns 100 ou 200 metros, a pista é estreita e dá a volta na Barragem. Quando começa os 14 kms da pista efetivamente, vemos que ela é larga mas metade dela é para os carros de manutenção, ficando a outra metade para ir e vir das bicicletas. Como não havia carros, todos usavam a pista inteira.

Eu gostei muito da pista e da vista. É um ângulo da cidade que nunca vemos. Mas desde que você não olhe para o rio ou respire muito fundo. O cheiro, em alguns momentos, era muito forte e a visão de coisas boiando no rio nos lembra do descaso com que essa cidade, tanto seus moradores quanto seus governantes, tratam ele.

Não sei se num dia de sol forte será possível andar pela ciclovia sem passar mal. Ontem, com chuva, o passeio foi bem agradável.

No final da pista, há novamente uma área de descanso com estacionamento. Mas ai nota-se um problema que poderia ter sido evitado. Os banheiros tinham filas e estavam imundos. Não sei o que esses engenheiros da prefeitura tem na cabeça para construir um único banheiro que só serve a uma pessoa por vez. Havia espaço para um banheiro muito maior. Senti falta também de uma lanchonete. Decididamente essa área não foi projetada para ciclistas, pois não havia como prender as bicicletas enquanto se usava o banheiro.

Em resumo, se você não levar em conta o acesso ruim da Vila Olimpia, os inexistentes acessos no meio do percurso, os poucos banheiros e o cheiro do rio, é um passeio que vale a pena. Vi várias capivaras, alguns patos, e algumas paisagens de São Paulo bem interessantes.

Quando terminarem o trecho até o Villa Lobos, acredito que vá ficar bem melhor, ainda mais que vai ficar bem mais perto de casa. No final do passeio, minhas pernas estavam quase se desmanchando…

A arte do desenvolvimento de software

Frequentemente ouço opiniões contraditórias sobre Desenvolvimento de Software.

Alguns adeptos da Engenharia de Software encaram o Desenvolvimento de Software como um processo mensurável que chega ao resultado desejado se as técnicas  forem corretamente aplicadas. Em alguns casos, é dado pouco valor ao ser humano que é considerado somente uma das engrenagens do processo.

Outros afirmam que a Engenharia de software está equivocada porque Desenvolver Software é uma arte. É um trabalho criativo feito por pessoas com todos os “defeitos” dos seres humanos como amor, ódio, paciência (e a falta de), desejos, necessidades, interesses. Portanto devemos evitar tolher a criatividade dos desenvolvedores com burocracias, fórmulas prontas, controles, métricas, etc. Todos os problemas do desenvolvimento de software podem ser resolvidos fazendo o que o ser humano faz de melhor, se comunicar. Continue lendo “A arte do desenvolvimento de software”